Confira nossas matérias, ensaios e cartas:

Caminho das Sementes #3 – SOMOS COMO SEMENTES

Neste terceiro texto da série sobre a importância das sementes, acompanharemos a reflexão de uma jovem mulher indígena na luta pela conquista da soberania alimentar, da terra e território. Por Talita Tamikuã Pataxó, T.I Comexatibá – Prado, Extremo Sul da Bahia. * Eu nasci em uma cultura e tradição que tem como missão honrar a natureza, viver dela e para ela. Eu sou neta de pajé, uma pajé mulher, o que tornou minha conexão com a natureza mais forte ainda. Meu povo é um povo que honra muito a fartura

Continue Lendo

DE QUEM É A TERRA?: UMA DEFESA TEOLÓGICA DOS DIREITOS DOS POVOS TRADICIONAIS À RESTITUIÇÃO E PROTEÇÃO DE SEUS TERRITÓRIOS

Por André Muniz* PARTE I Conflitos de terras são comuns na arena política, e recentemente tem sido cada vez mais. Enquanto garimpeiros, madeireiros, latifundiários, hidrelétricas e grandes empresas buscam cada vez mais lucrar em cima da destruição dos ecossistemas e invadir e tomar as terras onde vivem povos e comunidades tradicionais, essas pessoas: indígenas, quilombolas e trabalhadores rurais sem terra, por outro lado, lutam para preservar e proteger o lugar onde vivem e de onde retiram seu sustento, retomando terras perdidas quando necessário. A preocupação com a territorialidade não deveria ser

Continue Lendo

FUNDAMENTOS DA LUTA: UMA AULA DE MESTRE JOELSON SOBRE ALIANÇA, MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO DA ARTICULAÇÃO

Terra e Território são fundamentos que conduzem a Teia dos Povos. Terra e Território que, historicamente, foram roubados de nossos ancestrais originários e negados ao povo africano em diáspora. Da Terra pode, se bem cuidada, nascer o alimento. No Território estão as chances de sobrevivência, identidade coletiva, autonomia, defesa de nós e dos nossos. Sabemos que a estrutura colonial e o latifúndio trabalham continuamente pela marginalização do povo preto nas grandes cidades e pelo assassinato em massa de povos indígenas, invadindo e expropriando nossos territórios de maneira injusta e indevida.

Continue Lendo

Emergência: NOTA DE PEDIDO DE APOIO – Aldeia Novos Guerreiros

NOTA DE PEDIDO DE APOIO PARA COMUNIDADE INDÍGENA Pedimos atenção e respeito. Pedimos providências. Pedimos dignidade. SOBRETUDO PEDIMOS SOCORRO. A COMUNIDADE INDÍGENA PATAXÓ da aldeia NOVOS GUERREIROS localizada no território indígena de PONTA GRANDE, foi surpreendida por uma decisão liminar que autoriza uma reintegração de posse em uma área da aldeia onde está sendo ocupada por 24 famílias indígenas. Os indigenas foram representados e representadas pelos Procuradores Pedro Dinis O’Dwyer e Fernando Zelada, em audiência realizada pelo Juiz Federal Pablo Baldivieso, em 20/08/2020, sofreu uma derrota que inicialmente tem impacto

Continue Lendo

Nota Coletiva da campanha “DESPEJO ZERO” repudia a remoção de trabalhadores/as informais da Praça do Nordestino, no centro da cidade de Feira de Santana

Mesmo com a atual crise, causada pela pandemia do coronavírus e suas consequências, os órgãos públicos que deveriam proteger os trabalhadores arrumam formas de atacar a população lhes tirando as possibilidades de sustento e sobrevivência frente aos desafios que a classe trabalhadora enfrenta nesse cenário caótico. No dia 15 de agosto a prefeitura municipal de Feira de Santana resolveu despejar, de forma cruel, barraqueiros e barraqueiras que atuam na Praça do Nordestino. A medida, executada na calada da noite, desrespeita a Portaria SETTDEC nº 003, de 31/03/2020, como também aprofunda os

Continue Lendo

CAMINHOS DAS SEMENTES #2: O Agronegócio Transforma o Milho em Ração, Entrevista com José Maria Tardin.

Reportagem: Mariana Cruz e Rafique Nasser Este é o segundo texto de uma série sobre a importância das sementes de milho crioulo na conquista da soberania alimentar, da terra e território e, sobretudo, da autonomia dos povos. “NÓS SOMOS AMIGOS DAS FORMIGAS”, Mestre Joelson Ferreira à Telesur TV Do punhadinho pôde germinar um monte, desse monte o que se quer é que nasça muito mais. A semente crioula é fundamental para a construção da liberdade e estratégica para a defesa dos territórios. O alimento que nos dará forças para a

Continue Lendo

Diários da Pandemia #12: Frente CDD – Cidade de Deus (RJ)

Na Cidade de Deus (RJ) encurralada entre a COVID, a fome e a PM genocida, a Frente CDD dá exemplo da juventude que luta! 20/05/2020 “Eles são genocidas e nós somos alvos do Estado! Nós é preto! Você acabou de distribuir 200 cestas básicas, eu não vou te perder mano!” Hoje estivemos no Pantanal para entregar 200 cestas básicas e ao final começou uma operação da polícia, 19:00 da noite, muitas pessoas ainda nas ruas e nos vimos em meio ao tiroteio! Buscamos abrigo em casas de moradores que nos

Continue Lendo

Diários da Pandemia #11: Movimento Unido dos Camelôs – MUCA (RJ)

Solidariedade e luta contra a violência do Estado: o percurso do movimento dos camelôs do Rio neste tempo de pandemia. Este período da pandemia começou no dia 16/03, o último dia que eu montei minha barraca rua. Num primeiro momento fizemos uma vaquinha virtual, nossa meta seria R$ 25 mil. Em apenas uma semana conseguimos R$ 28 mil. Foram distribuídos R$ 250 para 100 pessoas. Tivemos também um financiamento do Fórum Nacional de Reforma Urbana no valor de R$ 6.400, com os quais foram compradas 64 cestas básicas. Participamos de

Continue Lendo

TODA SOLIDARIEDADE E APOIO À LUTA DOS MAPUCHE – TODA SOLIDARIDAD Y APOYO A LA LUCHA DE MAPUCHE

A Teia dos Povos expressa sua solidariedade com o povo Mapuche da região de Araucania, vítima de ataques racistas incentivados pela extrema direita chilena no último fim de semana. O Povo Mapuche sustenta há décadas uma luta pela recuperação de seus territórios tradicionais, contando atualmente com uma grande quantidade de presos no Chile, vários deles acusados com base na lei antiterrorista do país – em procedimento já condenado por especialistas das Nações Unidas. Os ataques, segundo comunicado da rede de familiares e amigos dos presos mapuche, foram cometidos sob o

Continue Lendo

CARTA AOS POVOS

Por Joelson Ferreira e Solange Brito Companheiras e companheiros da Teia dos Povos, Apoiadores e apoiadoras das lutas dos povos no Brasil e no Mundo, Com a licença de nossos encantados, Nosso profundo respeito àqueles que tem a missão de cuidar e guardar as sementes. A essas mulheres e homens todo nosso respeito, pois estão guardando consigo a força da vida! Nós da Teia dos Povos estamos reafirmando todo tempo que é preciso voltar ao princípio e às coisas simples para reconectar com a mãe terra. Dentre os princípios está

Continue Lendo